O CD “Festa no Botequim” chega ao mercado fonográfico já anunciando no seu nome ao que se propõe: uma celebração! Desde que há dez anos alguns amigos – todos moradores de Salvador, músicos amantes e pesquisadores do samba – resolveram se reunir pra formar um grupo musical, a celebração é talvez o componente mais importante da trajetória do Grupo Botequim. O lançamento oficial do álbum será no dia 14 de outubro (sexta-feira), no Pátio da Igreja do Santo Antônio, no bairro do Santo Antônio Além do Carmo, com uma grande roda de samba em noite de festa, claro!

“Há dez anos estamos celebrando o que temos de melhor na nossa música, dando dignidade a tantos poetas e compositores do nosso samba, que souberam elevar esse gênero musical à condição de símbolo da cultura brasileira”, comemora Pedrão, violonista, vocalista, compositor e um dos fundadores do Botequim. Mas o Grupo vai além: seus músicos são também responsáveis por uma rica produção de composições autorais baseadas nessas referências.

Não é exagero afirmar que o Grupo Botequim é responsável por ampliar a vivência em torno do gênero musical na cidade de Salvador, sendo o provocador de uma renovação da cena de entretenimento em torno da roda de samba, sobretudo devido às rodas abertas ao público que promove há oito anos, sempre na última sexta-feira do mês, no Largo do Santo Antônio Além do Carmo, evento que reúne um público fiel e ganhou carimbo na programação da cidade.

“A roda de samba é lugar essencial de onde emerge essa tradição tão viva do samba em qualquer canto desse país. Dessa forma, o Grupo Botequim vem espalhando celebração, competência musical e, sobretudo, respeito ao samba”, comenta o mestre Walmir Lima, que apadrinha o Grupo e é um dos convidados do disco.

 “FESTA NO BOTEQUIM” – O CD coroa a trajetória de dez anos percorrida pelos botequins, casas de espetáculo, teatros, largos e praças de Salvador, Recôncavo Baiano e também de outros centros importantes do país, como São Paulo e Rio de Janeiro, ou ainda em países como França, Portugal e Alemanha. São locais onde o Grupo Botequim teve oportunidade de levar a sua celebração ao samba e aos grandes sambistas, sempre cativando e emocionando o público com a beleza e profundidade desse tradicional gênero musical.

As 13 faixas do álbum, todas de autoria dos integrantes do grupo, retratam a diversidade do samba, como nos sambas de roda “Deixa Clarear” e “Avisa que o Samba Chegou”, com a participação especial das Ganhadeiras de Itapuã, que remetem às raízes dessa tradição do Recôncavo Baiano, e em “Prece de Sambador”, com a participação especial do Grupo Barlavento.

O CD traz convidados especiais também em outras faixas, como no samba de partido alto “Ditado Popular”, com a peculiar participação do compositor Seu Regi de Itapuã, além do samba canção “Alegria de Carnaval” com a voz marcante de Gal do Beco. Já a faixa “De Fevereiro ao Bonfim”tem a presença do mestre do samba baiano Walmir Lima.

A faixa que dá nome ao disco “Festa no Botequim” fala da magia da roda de samba, e “Grito de Liberdade” traz uma reflexão sobre a discriminação racial ainda presente no Brasil. O disco dá também espaço para um gênero do samba pouco ouvido atualmente, o samba de breque, através do bem humorado “Resolvi ir pra Paris”, assim como também para o chorinho em “O Vôo do Pavão”. Completam o CD as belas composições “Beira de Maré” e “Fim dos Enganos”, além do empolgante samba enredo “Itapuã: um Mar de Memórias” que fecha o disco com a participação super especial da Escola de Samba Unidos de Itapuã.

Nomes reconhecidos da cena musical de Salvador também participam do álbum, a exemplo de Júlio Caldas, Cássio Nobre e Milton Primo (viola machete), Cuca e Érica Sá (percussão), Dadá Rodrigues (trombone), Josef Barreto (trompete), André Santana (acordeon), Eugênio Bondi (violoncelo), Mestre Nelito do Pandeiro, Madureira e Daniela Amoroso (pandeiro), Washington Rodrigues e Daniel Velloso (violão 7 cordas)