Na próxima sexta-feira, 14, Salvador recebe, no Teatro Sesc Pelourinho, às 19h30, o lançamento da Cartilha do Samba Chula, projeto apoiado pelo Natura Musical. São dois CDs, um DVD e um caderno informativo, com a tiragem de dois mil exemplares, gerados a partir dos saberes de transmissão oral dos cantadores de chula e tocadores de viola das cidades de Salvador, Saubara, São Francisco do Conde, Terra Nova e Santo Amaro, durante os meses de maio e junho 2015.

Com entrada a preços populares, haverá apresentação dos grupos de samba chula: Coisas do Berimbau (de Conceição de Jacuípe) e Filhos da Terra (de Terra Nova), e vários mestres convidados, além de mostra de vídeo e exibição do material da coletânea.

 O mesmo material também terá lançamento dia 16 (domingo), na Casa do Samba e ao lado, no teatro Dona Canô, em Santo Amaro, com mesa-redonda sobre transmissão e educação musical, cênica e patrimonial do Samba de Roda, com a participação de mestres e mestras do samba chula e estudiosos sobre o tema. O evento será coroado pelo show de lançamento com os grupos Raízes do Samba de AcupeSamba Chula os Vendavais, além de mestres convidados.

 Para a coleta do material que agora está sendo lançado, o projeto realizou atividades cênico-musicais, num processo de ensino-aprendizagem em oficinas, registradas por meios audiovisuais, divididas em três modalidades: a viola machete; a chula cantada com pandeiro; e o samba miudinho eprato-e-faca. O resultado do processo se materializa em vídeos, fotos, textos, depoimentos dos mestres e transcrições musicais.

 A Samba Chula é uma vertente do samba tradicional do Recôncavo Baiano, de melodia mais complexa e extensa, na qual os cantores entoam as chulas – uma forma de poesia musicada, dominada por poucos mestres sambadores. Os cantadores de chula encontram apoio rítmico no pandeiro e harmônico nos toques da viola machete, executados pelos poucos tocadores de viola machete do Recôncavo.